Make your own free website on Tripod.com
IX Copa do Mundo da FIFA - 1970
Bobby Charlton
Home

bobby.jpg

Fontes: http://en.wikipedia.org/wiki/Bobby_Charlton e http://pt.wikipedia.org/wiki/Bobby_Charlton
 
Sir Robert "Bobby" Charlton, CBE, nasceu em 11 de Outubro de 1937 em Ashington, Northumberland.

Sobreviveu ao desastre aéreo de Munique. Marcou 49 golos pela Inglaterra, ganhou 106 títulos e foi campeão do mundo de futebol em 1966. Ganhou a FA Cup em 1963, a Liga dos Campeões em 1968 e três títulos da Liga Inglesa em 1957, 1965 e 1967, jogando pelo Manchester United, clube por quem jogou 752 jogos e marcou 249 golos.

Após deixar o Manchester United em 1973 foi jogador-treinador durante uma época pelo Preston North End e depois de mais uma curta e mal sucedida época como treinador tornou-se accionista do Manchester. Foi-lhe atribuído o título de Sir da Ordem do Império Britânico em 1974 e ordenado cavaleiro em 1994.

Tinha um penteado considerado na época como engraçado [careca no topo, e com as partes laterais penteadas sobe a careca). O seu irmão Jack Charlton, foi também jogador de futebol e era defesa no Leeds United.

É considerado o melhor jogador inglês de todos os tempos e um dos melhores meios de campo do século 20.

O cavaleiro inglês Sir Bobby é o maior símbolo do futebol britânico, o homem que driblou até a morte

106 jogos pela Inglaterra: um recorde que só poderia ser de Charlton

Na metade da década de 50 o Manchester United assombrou a Inglaterra com uma equipa que conquistou o bicampeonato nacional e tinha média de idade de 22 anos. Eram os Busby Babes, os bebés do técnico Matt Busby. Encantados, os ingleses previam um futuro brilhante para aquela equipe, mas o destino reservava uma surpresa. Em Fevereiro de 1958, um acidente aéreo matou oito jogadores. O seu Avançado Centro de vinte anos ficou gravemente ferido, mas sobreviveu. Sorte do futebol.

Bobby Charlton era um jogador cerebral. Com uma visão de jogo notável, jogava de forma revolucionária: era um Avançado centro recuado, que buscava espaços para iniciar as acções ofensivas e, em arrancadas fulminantes, ir concluí-las. Jogando mais atrás, ele também podia aproveitar melhor seus potentes e certeiros chutes de longa e média distância. Além disso, era um cavalheiro, o retrato do desportivismo e do fair play.

Bobby Charlton disputou três Copas do Mundo consecutivas (1962, 1966 e 1970), sempre como capitão da Inglaterra, que liderou a seu único título mundial, em 1966. Nesse ano, recebeu a Bola de Ouro de melhor jogador da Europa, foi Bola de Prata em 1967 e conquistou outra de Ouro em 1968. Foi substituído uma única vez na Seleção, na Copa de 70. Os ingleses ganhavam da Alemanha por 2 x 0 quando o técnico Alf Ramsey resolveu poupá-lo para a semifinal. Um erro fatal. A Alemanha tomou conta do jogo, virou para 3 x 2 e eliminou os ingleses. "Coisas do futebol", disse inabalável o fleumático Bobby.

Abandonou a carreira aos 37 anos. Depois disso recebeu o título de cavaleiro do Império Britânico. Sir Bobby. "Ele esteve mais perto da perfeição do que qualquer outro, como homem e como jogador", disse sobre ele Alf Ramsey.

volta à página inicial