Make your own free website on Tripod.com
IX Copa do Mundo da FIFA - 1970
Uwe Seeler
Home

seeler.jpg

Uwe Seeler (Hamburgo, 5 de novembro de 1936) é um ex-futebolista alemão. Foi centro-avante e um dos maiores ídolos da história do futebol alemão.

Jogou no Hamburgo (1953 a 1971) onde é considerado um símbolo, por sempre ter recusado propostas de outros clubes, muitos do exterior, para deixar este clube onde é o maior ídolo. Foi campeão alemão em 1960 e da Copa da Alemanha em 1963.

O pai dos Panzer, Uwe Seeler não era homem de requintes. Ele foi o precursor do centroavante tanque alemão , pois era de baixa estatura (1,65 m.) e muito forte, muitas vezes acrobático , fazendo gols de forma simples e eficiente.

Não sendo alto, mas tendo muita força, era um mesmo um verdadeiro tanque. Seeler era uma massa bruta que literalmente conquistava espaço na área adversária para então chegar ao seu objetivo: o gol. E foram muitos, talvez não muito bonitos, sem aquele drible, aquele toque de classe. Mas no entrechoque da grande área, no bate-rebate e na bola alta ele era insuperável. Os alemães o chamavam de "Rei dos 18 metros", a grande área era seu domínio. O centroavante acabou mostrando às gerações seguintes de atacantes que proteger bem a bola era a melhor alternativa para quem não havia nascido craque. Seeler jogou em apenas um clube, o Hamburgo. A cidade retribuiu e o transformou numa celebridade na cidade. Sua raça e seu esforço em campo eram contagiantes. Mais do que isso, os 764 gols marcados em 810 partidas ainda são recordes até hoje no clube.

Ele foi o terceiro melhor jogador da Europa em 1960, artilheiro do Campeonato Alemão de 1964 e melhor jogador do país em 1960, 1964 e 1970. Jogou quatro Copas do Mundo, em 1958, 1962, 1966 e 1970, sendo titular e fazendo gols em todas. Só teve o azar de não conquistar uma Copa do Mundo.

Em 1965 sofreu o maior susto da carreira. Em fevereiro, teve ruptura do Tendão de Aquiles da perna direita e chegou a ter o fim da carreira anunciada. Mas, em agosto, ele estava de volta aos gramados, vésperas da convocação para o jogo contra a Suécia pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 1966. Foi a Estocolmo e fez o gol da vitória alemã.

Na Copa do Mundo de 1970, teve de mudar suas características. Ele era o encarregado de abrir espaços e chamar a marcação para que um novo goleador brilhasse: Gerd Müller. Seeler cumpriu a missão e ainda fez três gols na competição. Depois da Copa se despediu da Seleção e, no ano seguinte, do futebol, deixando um herdeiro à sua altura.

Quem sabe, sabe , o ano era 1987. Era a Copa Pelé, uma espécie de mundial veterano que seria disputada no Brasil. Apenas o time da casa tinha um elenco enxuto onde brilhava Roberto Rivellino e, é claro, Pelé. A Alemanha contava no comando do ataque com um barrilzinho chamado Seeler. Todos riram até o tiozinho tocar na bola e mostrar que era um tremendo atacante. Os alemães não foram longe, mas Uwe Seeler gastou a bola. Fez 72 jogos pela Seleção da Alemanha e marcou 51 gols. Com o Total de 882 jogos e com 815 gols.

volta à página inicial