Make your own free website on Tripod.com
IX Copa do Mundo da FIFA - 1970
Pelé
Home

pele-vi.jpg

 
 

Edison Arantes do Nascimento KBE (Knight of The British Empire, ou Cavaleiro do Império Britânico) (Três Corações, 23 de outubro de 1940), conhecido como Pelé, é, trinta anos após sua retirada dos campos, o mais famoso futebolista brasileiro e mundial. É considerado por muitos como o maior jogador da história do futebol. Recebeu o título de Atleta do Século de todos os esportes em 15 de maio de 1981, eleito pelo jornal francês L'Equipe. No final de 1999, o COI, através de uma votação internacional entre todos os Comitês Olímpicos Nacionais associados, também elegeu Pelé o "Atleta do Século".

Filho de Dona Celeste e de João Ramos do Nascimento, conhecido futebolista no sul de Minas Gerais, alcunhado Dondinho, em 1945, mudou-se com a família para Bauru (São Paulo). O nome "Edison" foi escolhido pelo pai para fazer uma homenagem ao inventor Thomas Edison.

Ainda criança manifestou a vontade de ser jogador de futebol. Ironicamente a alcunha "Pelé" que serviu para identificar o jogador considerado o maior goleador de todos os tempos teve origem num goleiro. Em 1943 o pai de Pelé jogava no time mineiro do São Lourenço. Pelé, que então tinha três anos, ficava bastante impressionado com as defesas do goleiro da equipe do pai e gritava: "Defende Bilé". As pessoas próximas começaram a chamá-lo de "Bilé". Muitas crianças colegas do garoto Edison tinham dificuldade em pronunciar "Bilé" e com o tempo o apelido virou "Pelé".

Com dez anos já jogava em um time infanto-juvenil, o Canto do Rio, cuja idade mínima para participar era de 13 anos. O pai então o estimulou a montar o seu próprio time: chamou-o Sete de Setembro. Para adquirir material, como bolas e uniformes, os garotos do time chegaram a pegar, sem autorização, produtos nos vagões estacionados da Estrada de Ferro Sorocabana para vender em entrada de cinema e praças.

Um fato que destacou a importância de Pelé no exterior foi quando de sua visita a África em 1969. No transcorrer da guerra civil no Congo, para que Pelé e o time do Santos FC transitassem em segurança entre Kinshasa e Brazzaville, as forças rivais declararam a interrupção das agressividades, chegando a ocorrer, numa região de fronteira, a transferência da delegação sob tutela de um exército para o outro.

Este fato fez lembrar o sonho do Barão Pierre de Coubertin ao fazer renascer os Jogos Olímpicos no século XX. Pois era costume na Grécia Antiga a decretação de um armistício quando da realização dos jogos olímpicos da época.

Pelé começou sua carreira no Santos FC, em 1956 e disputou sua primeira partida internacional com a seleção brasileira dez meses depois.

Professor de Educação Física, formado em 1974, pela Faculdade de Educação Física de Santos (Universidade Metropolitana de Santos)

Na década de 1980, namorou a então aspirante a modelo Xuxa, sendo considerado o principal responsável pela projeção inicial da mesma na midia. O mesmo período em que foram lançadas filmagens de Xuxa em um filme erótico chamado Amor, Estranho Amor. O filme com cenas polêmicas de Xuxa teve a exibição embargada na Justiça Brasileira anos depois, por iniciativa da própria atriz, que se tornara famosa e rica na TV e brasileira atuando como apresentadora infantil, e não por Pelé.

Foi ministro dos Esportes do Brasil de 1995 a 1998.Nessa época aprovou mudanças na Lei Zico, que passou a ser conhecida como Lei Pelé. A legislação, muito criticada pelos dirigentes de clubes brasileiros, na verdade segue em linhas gerais as diretrizes internacionais da FIFA para contratação de jogadores.

Em 2000, na conturbada eleiçao de Melhor Jogador do Século da FIFA, Pelé foi aclamado como o melhor de todos os tempos, a frente do craque argentino Diego Maradona.

Em 3 de março de 2004, revelou uma lista contendo os cem melhores jogadores de futebol vivos. Lista esta que gerou polêmica, e críticas de vários seguimentos da mídia, de jogadores, e intelectuais do futebol mundial.

Em maio de 2005, Pelé ganhou espaço no noticiário por conta da prisão de seu filho Edson Cholbi Nascimento, o Edinho, autuado sob suspeita de envolvimento com o tráfico de drogas.

Depois de Pelé, a camisa 10 passou a ser vestida pelo melhor jogador do time, tanto no Brasil quanto no exterior. No time do Santos, ele utilizava esse número por ser o meia-esquerda e na seleção, por sorteio.

Na Seleção:

Estréia na seleção: derrota de 1 a 2 pela Argentina em 1957, pela Copa Roca. Gol dele.

Copa de 1958: convocado depois de uma brilhante partida no Maracanã, na qual atuou em um combinado do Santos e Vasco da Gama. Se machucou na véspera da competição, mas Paulo Machado de Carvalho resolveu levá-lo assim mesmo. Estreiou no terceiro e decisivo jogo do Brasil, juntamente com Zito e Garrincha. Ele não marcou, mas o Brasil venceu por 2x0 a URSS. Nessa copa Pelé foi chamado pelos franceses de "Rei do Futebol", dando início a uma verdadeira lenda internacional, tornando-se uma das personalidades mais conhecida do mundo durante o século XX.

Copa de 1962: Pelé se machucou na virilha, no segundo jogo do Brasil. No primeiro ele havia feito um gol. Não jogou mais aquela competição.

Copa de 1966: Pelé foi caçado em campo pelos adversários, que usavam do chamado "Futebol Força" para surpreender o Brasil. Jogou apenas duas, das três partidas que o Brasil disputou naquela Copa. Fez sua última partida com Garrincha, na vitória de 2x0 sobre a Bulgária. Juntos, os dois astros nunca perderam uma partida de futebol pela seleção.

Copa de 1970: Ameaçado de ficar no banco de reservas, quando Zagallo assumiu a seleção, Pelé jogou tudo que sabia e comandou o Brasil na sua mais impressionante campanha em Copas, ganhando definitivamente a Taça Jules Rimet.

Despedida: Maracanã, dia 18 de julho de 1971, com público de 138.575 pagantes. Brasil 2 a 2 Iugoslávia.

No Santos:

1956 a 1974

Estréia: Santos 7 - 1 Corinthians de Santo André, em 7 de Julho de 1956. (primeiro gol de Pelé ,sexto do Santos na partida).

Última partida: Santos 2 - 0 Ponte Preta, 2 de Outubro de 1974.

No New York Cosmos:

1975 a 1977

Última partida: New York Cosmos 2 - 1 Santos, no Giants Stadium (Nova Iorque), em 1º de Outubro de 1977. Pelé atuou um tempo por cada equipe e marcou o primeiro gol da equipe norte-americana cobrando falta.

Além da Seleção Brasileira, Pelé se despediu como jogador do Santos em 1974 (vitória por 2 a 0 sobre a Ponte Preta) e do New York Cosmos (1977, jogando um tempo em cada equipe, marcando um gol pelo time estadunidense que venceu o Santos por 2 - 1). Na festa americana, com direito a participação de Mohamed Ali, Pelé daria seu grito repetido por milhares de pessoas: "Love! Love!".

Seria a estrela de partidas de despedida de outros astros, como Garrincha em 1973 (fez um gol pela Seleção Brasileira, driblando toda a defesa adversária formada por estrangeiros que atuavam no Brasil); e da de Beckenbauer em 1982, quando fez seu último gol. Carlos Alberto Torres reclamou que Pelé não participou da sua despedida. Tanto Beckenbauer como Carlos Alberto, foram seus companheiros no Cosmos.

Pelé sempre foi muito criticado por diversas de suas declarações.

Durante o regime militar, deu declaração polêmica dizendo que "o povo brasileiro não sabe votar", o que provocou a reação de políticos na época.

Em 2005, falou que Romário deveria se aposentar, ao que o mesmo replicou que Pelé "com a boca fechada é um poeta", completando que ele deveria "colocar um sapato na boca para deixar de falar besteiras". Também criticou Ronaldo por estar acima do peso em 2006.

Em 2006, disse antes do jogo pela Copa do Mundo entre Brasil e França que tinha um mau pressentimento quanto ao jogo. O Brasil realmente acabou perdendo o jogo por 1 a 0.

Muitos jogadores declararam que em campo ele era um "jogador sujo", e também costumava revidar as agressões dos adversários:

Quebrou a perna do alemão Kiesman em um amistoso em que o Brasil venceu a Alemanha Ocidental em 1965 no Maracanã por 2 a 0.

Também causou a fratura da perna do cruzeirense Procópio em 1968 numa partida entre Cruzeiro e Santos.

Um dos lances que ficou famoso também foi a cotovelada desleal que Pelé desferiu contra o uruguaio Dagoberto Fontes, na semi-final da Copa de 70. No início do jogo, esse zagueiro havia pisado na mão de Pelé quando ele estava caído, irritando o Rei. Mas o lance da cotovelada foi tão bem feito, que o juiz deu falta do zagueiro e não de Pelé.

Há de se considerar, no entanto, que suas incursões surpreendentes entre os zagueiros em jogadas espetaculares que freqüentemente resultavam em gols, o que o tornava objeto de caça dos zagueiros dos times adversários. Pelé era constantemente atingido e agredido pelos marcadores, o que pode ter resultado em que algumas vezes seu comportamento, em revés, tenha sido uma resposta a essas constantes agressões. Depois da Copa de 1966, principalmente, quando Pelé mal pode jogar devido as "entradas" desleais que sofreu e que o machucaram, muitos o aconselharam a jogar com mais "dureza", intimidando sempre que possível seus implacáveis marcadores.

Quando era Ministro do Esporte, criou a Lei Pelé, que tinha como objetivo modernizar o futebol brasileiro ao transformar os clubes em empresas. A lei até hoje é polêmica: Pelé acusa os grandes clubes de terem deturpado o projeto original, enquanto os mesmos dizem que a lei teria facilitado a saída dos jogadores de seus clubes, favorecendo as transferências para o exterior.

Seu filho Edinho (Edson Cholbi Nascimento) que jogou como goleiro pelo Santos, foi preso em junho de 2005 por envolvimento com o tráfico de drogas.

Tem sete filhos reconhecidos: três com a primeira mulher, Rosemeri Cholbi, dois com a segunda, Assíria Lemos, e mais duas filhas extraconjugalmente, uma das quais Pelé foi obrigado a reconhecer a paternidade judicialmente, Sandra Regina Machado, vereadora de Santos, vitimada por um câncer em 17 de outubro de 2006.

Números de Pelé:

  • Partidas: 1375
  • Gols: 1284
  • Recorde de gols em uma partida: seis gols, em 21 de novembro de 1964, na partida Santos 11 a 0 Botafogo de Ribeirão Preto
  • Partidas pela seleção brasileira: 115 (92 oficiais)
  • Gols pela seleção brasileira: 95
  • Mais jovem artilheiro Campeonato Paulista: 1957 - Santos (fez 17 anos durante a competição)
  • Mais jovem Campeão Mundial: 1958 - Brasil (17 anos)
  • Mais jovem Bicampeão Mundial: 1962 - Brasil (21 anos)
  • Maior artilheiro em uma temporada do Campeonato Paulista: 1958 - 58 gols
  • Maior número de temporadas como artilheiro do Campeonato Paulista: 11
  • Maior artilheiro em uma temporada: 1959 - 127 gols
  • Maior artilheiro da história da Seleção Brasileira: 95 gols
  • Maior artilheiro do futebol profissional: 1284 gols
  • Bola de Ouro Especial da revista Placar: 1987
  • Placa de bronze afixada no Maracanã: 1961 - Em virtude de um lindo gol marcado contra o Fluminense, no dia 12 de junho de 1961. Origem do termo "Gol de placa", cunhado por Joelmir Beting.

    Pelé Artilheiro:

    Do Campeonato Paulista:

    • 1957 - Santos (17 gols)
    • 1958 - Santos (58 gols) - Recorde da Competição
    • 1959 - Santos (45 gols)
    • 1960 - Santos (33 gols)
    • 1961 - Santos (47 gols)
    • 1962 - Santos (37 gols)
    • 1963 - Santos (22 gols)
    • 1964 - Santos (34 gols)
    • 1965 - Santos (49 gols)
    • 1968 - Santos (26 gols)
    • 1973 - Santos (11 gols)

    Da Copa América:

  • 1959 - Brasil (8 gols)

    Do Campeonato Brasileiro das Forças Armadas:

  • 1959 - Seleção da 6ª Grupo de Artilharia de Costa Motorizado (6º GACosM)(11 gols)

    Do Campeonato Sul-Americano das Forças Armadas:

  • 1959 - Seleção Brasileira das Forças Armadas (11 gols)

    Da Taça Brasil:

  • 1961 - Santos (9 gols)
  • 1963 - Santos (12 gols)

    Da Taça Rio-São Paulo:

    • 1961 - Santos (7 gols)
    • 1963 - Santos (15 gols)
    • 1964 - Santos (3 gols)
    • 1965 - Santos (7 gols)

    Do Campeonato Mundial Interclubes:

  • 1962 - Santos (3 gols)

    Da Taça Libertadores de América:

  • 1963 - Santos (11 gols)

    Os Títulos de Pelé

    • Copa do Mundo: 1958, 1962 e 1970
    • Copa Intercontinental: 1962 e 1963
    • Taça Libertadores da América: 1962 e 1963
    • Taça Brasil: 1961/62/63/64/65
    • Torneio Roberto Gomes Pedrosa: 1968
    • Torneio Rio-São Paulo: 1959,1963,1964,1966
    • Campeonato Paulista: 1958/60/61/62/64/65/67/68/69/73
    • Campeonato Norte-americano: 1977 (New York Cosmos)

    O Gol 500:

    Marcado em 2 de setembro de 1962, na partida Santos 3 a 3 São Paulo. Pelé marcou dois gols, sendo o segundo o 500º gol.

    O Gol 1000:

    Marcado em 19 de novembro de 1969, às 23h11, Vasco 1 - Santos 2, com 65.157 pagantes.

    A partida era válida pelo Torneio Roberto Gomes Pedrosa, o campeonato brasileiro da época. Aos 33 minutos do segundo tempo o zagueiro do Vasco Renê cometeu pênalti. Pelé cobrou com pé direito no canto esquerdo do goleiro Andrada, que se esforçou, mas não conseguiu defender o pênalti. Andrada não queria sofrer gol de Pelé pois achava que deixaria de ser conhecido como bom goleiro e passaria a ser lembrado somente como o goleiro do milésimo gol.

    Ao ser cercado pelos repórteres, Pelé disse: “Pensem no Natal. Pensem nas criancinhas”. Pelé vestiu uma camisa do Vasco de número 1000 e deu a volta olímpica no Maracanã. A bola do milésimo gol era da marca Drible.

    Outras Curiosidades:

    • Pelé conta que certa vez, seu pai, Dondinho lhe mostrou um recorte de jornal que falava de um jogo em que ele fizera cinco gols, todos de cabeça. Esse recorde de seu pai nem o "Rei" conseguiu superar.
    • Pelé esteve para ser contratado pelo Bangu, time do Rio de Janeiro, mas sua mãe não queria que ele mudasse para tão longe de São Paulo.
    • Patrocinado por um refrigente famoso internacionalmente, Pelé filmou várias "aulas de como se jogar futebol" no início dos anos 70: nelas, pode se observar a sua técnica apuradíssima:"matadas" de bola no peito, dribles de todos os tipos ("chapéus", tabela com a "canela" do adversário), cabeceio com grande impulsão e também de "peixinho", chutes fortissímos. Pelé também mostra como ele jogava com as pernas dobradas, para melhorar seu equilíbrio em função do centro de gravidade do corpo.
    • Ameaçado de perder a artilharia do Campeonato Paulista de 1964 pela primeira vez desde 1958, Pelé surpreendeu e superou seus concorrentes marcando oito gols em uma só partida: vitória do Santos por 11 a 0 sobre o Botafogo de Ribeirão Preto. Milton Neves conta que o técnico do time do interior Osvaldo Brandão perdeu o cargo logo após essa goleada, mas foi contratado pelo Corinthians. No seu novo clube, na estréia, o Corinthians perdeu de 7 a 4, com Pelé marcando mais 4 gols, para dissabor do treinador.
    • Pelé poderia ter mil gols antes do jogo contra o Vasco. Num jogo contra o Esporte Clube Bahia, realizado na Fonte Nova, em 16 de Novembro, Pelé poderia ter entrado para a história, se não fosse a intervenção do zagueiro Nildo. Ele deu um carrinho para tirar a bola do gol.
    • Pelé afirma que seu gol mais bonito foi marcado no estádio do Juventus na rua Javari (bairro da Mooca) em 2 de agosto de 1959 no Campeonato Paulista. Como não existem imagens deste feito, Pelé aceitou recriá-lo através de computação gráfica, para o documentário Pelé Eterno.
    • Pelé vestiu a camisa do Flamengo por uma partida e posou junto com Zico numa foto famosa, para homenagear a torcida do Brasil e principalmente para relembrar que mesmo sendo maior ídolo e torcedor do Santos, é querido por todas as torcidas do mundo.
    • Pelé parou temporariamente a guerra civil no Congo Belga em 1969, quando, durante excursão pela África, o Santos jogou duas partidas de exibição no país, então dividido pela guerra.
    • Além de ter atuado em clubes, Pelé ainda atuou por algumas seleções e combinados regionais e em apenas três oportunidade não deixou sua marca.
      • Seleção do 6º Grupo de Artilharia de Costa Motorizado (6º GACosM)(1959), 11 gols
      • Seleção Paulista (1959-60 e 1968/69), 11 gols
      • Seleção das Forças Armadas (1959), 4 gols
      • Seleção dos Sind. dos Atletas-SP (1961/62), 3 gols
      • Seleção do Sudeste (1983), 1 gol
      • Seleção dos Amigos do Garrincha, 1 gol
      • Seleção Norte Americana de Astros (1975)
      • Seleção dos ex-atletas do New York Cosmos (1984)
      • Seleção Brasileira de Seniores (1987)
    • Pelé também defendeu a camisa de uma outra seleção nacional, em 22 de abril de 1978, para promover uma excursão do Fluminense pela África, Pelé atuou pela seleção da Nigéria até os 35 minutos do primeiro tempo, quando foi substituído por Nalando
    • Uma lenda como Pelé não podia ficar imune à polêmicas e duas em especial lhe cercam:
      • A polêmica dos 1284 gols: A existência dos 1284 gols de Pelé é incontestavel: eles estão um a um registrados com data e adversário. No entanto alguns historiadores e biógrafos contestam a validade real de determinados gols para efeito estatístico, argumentando que uma vez que os gols marcados pelos demais jogadores no período antes da profissionalização (juvenil, infantil e outros) não entram em sua contas, os vários gols de Pelé nestas categorias também não podem ser computados, e no caso seriam os 11 gols marcados pela Seleção da 6º Grupo de Artilharia de Costa Motorizado (6º GACosM) e os onze marcados pela Seleção das Forças Armadas por serem estas claramente seleções amadoras, e também não seriam computados os 65 gols marcados com a camisa do New York Cosmos por se entender que à época a Liga Norte Americana de Futebol, além de não ter qualquer vínculo com a FIFA, ainda possuía regras próprias, como o campo de grama sintética, ou o goleiro vestindo o número "zero", e por estes cálculos mais conservadores Pelé teria "apenas" 1199 gols como profissional.
      • A polêmica do milésimo: Por este mesmo critério, o milésimo gol de Pelé, como profissional, foi marcado em 4 de fevereiro de 1970 na goleada por 7 a 0 que o Santos aplicou no América do México. Por outro lado, mesmo pelos números oficialmente aceitos, há uma outra polêmica que cerca o gol número mil do "Rei do futebol", segundo constatou-se mais tarde um erro levou a não ser computado um gol que Pelé marcou pela Seleção das Forças Armadas do Brasil contra a Seleção das Forças Armadas do Paraguai, no placar final que foi de 4 a 1 (e não 4 a 3 como se veiculava na época) do dia 18 de novembro de 1959 (e não 5 de novembro) o "rei" marcou um gol, e com isso o "verdadeiro" gol 1000 teria ocorrido em 14 de novembro de 1969, cinco dias antes daquele que foi imortalizado no Maracanã, em um amistoso contra o Botafogo da Paraíba, na partida de inauguração do hoje desativado estádio Governador José Américo de Almeida, aos 23 minutos do segundo tempo, também de pênalti Pelé fez o terceiro gol da partida e àquele que "corretamente" é o seu milésimo gol. Todavia, Celso Unzelte, numa reportagem para Placar a qual citou no programa "Loucos por Futebol" da ESPN, provou com imagens de TV que um gol de Pelé feito contra a Seleção da Tchecoslováquia em 1965, constante da lista original, na verdade foi de Coutinho. Dessa forma, segundo ele, estava reestabelecido o milésimo gol como sendo o feito sobre o Vasco da Gama.
    • Foi, e dificilmente será ultrapassado, como o maior carrasco do Sport Club Corinthians Paulista, maior rival do Santos Futebol Clube, em um total de 47 partidas pelo Santos ele marcou 48 gols, com uma fantástica média de 1,02 gol por partida, outros dois gols foram marcados com a camisa da seleção Brasileira, na partida Brasil 5 - Corinthians 0 , completando assim 50 gols em 48 partidas.
    • No dia 6 de abril de 1979, aos 39 anos de idade, Pelé vestiu a camisa do Flamengo em uma partida oficial no Estádio do Maracanã. O Flamengo enfrentou o Atlético Mineiro cuja renda foi revertida para as vitimas das enchentes de Minas Gerais. Com a presença de Pelé, a renda chegou a CR$ 8.781.290,00 e um publico de 139.953 pagantes.
    • Pelé realizou duas tabelas com Zico relembrando seus tempos com Coutinho. Apesar disso, foi o Atlético que saiu na frente através de um gol de Marcelo. O empate do Flamengo foi de pênalti e cobrado por Zico. No segundo tempo Luisinho entrou no lugar de Pelé. No final, o Flamengo venceu por 5 a 1. Zico fez mais três gols, ficando para Luizinho e Cláudio Adão os outros gols.
    • Esta partida foi sua última com a camisa de um clube, encerrando definitivamente sua carreira futebolística.
  • volta à página inicial