Make your own free website on Tripod.com
IX Copa do Mundo da FIFA - 1970
Enrico Albertosi
Home

albertosi_milan_1980.jpg

 
Enrico Albertosi nascido em 2 de Novembro de 1939 em Pontremoli, é um ex-goleiro italiano, Campeão Europeu em 1968 e Vice-Campeão Mundial em 1970 pela Squadra Azzurra.
 
Começou a carreira nos juniores do Spezia, onde ficou até 1958 quando foi contratado pela Fiorentina. Estreiou na Série A Italiana na tempoarada de 1958-1959, em 18 de Janeiro de 1958 com um empate em 0 a 0 contra a Roma. Ele era reserva do goleiro Giuliano Sarti e jogou apenas 30 jogos pela equipe de Florença. Com a transferência de Sarti para a Internazionale, se tornou titular e ficou firma na posiçãopor cinco temporadas, até 1968 quando torcou a equipe pelo Cagliari da Sardenha.
 
Com a Fiorentina venceu duas Copas da Itália em 1960-1961 e 1965-1966 e a primeira Recopa (Copa dos vencedores de Copas) em 1960-1961 que sua equipe disputou como vice-campeã da Copa da Itália, uma vez que a campeã, a Juventus de Turim, não quis participar.
 
A transferência para o Cagliari veio pouco antes da temporada em que a Fiorentina foi campeã italiana (1968-1969), mas Albertosi, no entanto, se tornou campeão da Itália com a equipe da Sardenha em 1970, estabelecendo o recorde de menor número de gols sofridos em uma temporada (11 gols sofridos). Ficou na equipe por mais quatroi temporadas até se transferir para o Milan.
 
Em seis temporadas pelo Milan venceu sua segunda Copa da Itália (1976-1977) e principalmente seu segundo scudetto (1978-1979) que foi o décimo da squadra rosso-nera, que está simbolizada em uma das estrelas em sua camisa.
Ele foi um dos envolvidos no famoso escândalo "Totonero" no qual muitos jogadores foram punidos com pesadas suspensões. Depois de 532 partidas pela Série A, foi suspenso por dois anos à partir de 30 de Abril de 1980 e seu clube foi rebaixado para a Série B. Jogou sua última partida aos 40 anos, 3 meses e 8 dias contra o Perugia.
Com a diminuição de sua pena, em 1982 foi contratado pela equipe semi-profissional do Elpidiense, onde jogou dois campeonatos da Série C1 antes de se aposentar em 1984 com quase 45 anos.
 
Albertosi estreiou pela seleção italiana enquanto ainda não era titular pela Fiorentina: Seu batismo azul foi em casa no Estádio de Florença, em 15 de Junho de 1961 na vitória por 4 a 1 sobre a Argentina. Já havia jogado pela azzurra  nas divisões de base.
 
Depois da estréia, ele só voltaria a vestir a camisa da seleção quatro anos mais tarde, durante as últimas rodadas das eliminatórias para a Copa do Mundo da FIFA de 1966 e, posteriormente seria o titular da equipe que foi à Inglaterra disputar o mundial. Foi parte do time que sofreu o que é considerada a maior zebra da história das Copas, a derrota de 1 a 0 para a Coréia do Norte, que causou a eliminação dos italianos da Copa.
 
Sobreviveu a renovação da seleção, foi convocado mas substituido, por causa de contusões, pelo jovem Dino Zoff, que foi titular durante a Euro 1968 jogada em casa e que os italianos venceram. Em 1970 foi novamente titular na Copa do Mundo da FIFA disputada no México, chegando à final onde sua equipe foi derrotada pela seleção brasileira por 4 a 1, depois de ter defendido a meta de sua equipe na famosa semifinal frente à Alemanha Ocidental, quando a Itália venceu na prorrogação aos germânicos por 4 a 3.
 
Durante dois anos continuou a alternar com Zoff a posição de goleiro titular da Itália, situação que perdurou por todo o período de eliminatórias para a Euro 1972, até que o técnico Valcareggi escolheu Zoff como titular. O último jogo de Albertosi pela seleção nacional foi quase onze anos depois de sua estréia no empate entre Itália e Bulgária no dia 21 de Junho de 1972 por 1 a 1.
 
Depois da aposentadoria trabalhou como preparador de goleiros.
 
Em 27 de Maio de 2004, depois da disputa uma prova de trote no hipódromo de Sisana em Florença, sofreu uma grave crise de taquicardia ventricular na sala reservada aos jornalistas, ficando vários dias em coma induzido, sendo despertado pelos médicos, sem conseqüências ou complicações físicas.

Leia aqui o que foi o escândalo do Totonero.

volta à página inicial